TSE recebe mais de 93 mil solicitações de voto em trânsito

Agência Brasil (Brasília) – O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já registrou mais de 93 mil solicitações de eleitores para voto em trânsito em todo país. Foram feitos 48.735 pedidos para o primeiro turno e 45.075 para o segundo turno.

Todas as pessoas que estiverem fora do seu domicílio eleitoral no dia das eleições têm a opção de votar em trânsito, apenas para presidente da República, em uma das 92 cidades onde haverá essas seções especiais. O prazo para requerer a habilitação no TSE termina nesta quinta-feira (21).

São Paulo é o estado com mais pedidos de eleitores para votar em outro local: são 10.809 solicitações no primeiro turno e 10.120 no segundo. Já o Amapá é a localidade com o menor número de pedidos, com 79 no primeiro turno e 77 no segundo.

A maior parte dos requerimentos de habilitação para voto em trânsito também foi feita para São Paulo, nos dois turnos da eleição, 14.081 no primeiro e 13.271 no segundo. O Acre, por sua vez, será o estado que menos receberá eleitores que votarão em trânsito.

TRE-PE libera uso de imagem de Eduardo Campos

Atualizada às 21h28

A disputa envolvendo o uso de imagem do ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) na propaganda eleitoral gratuita ganhou mais capítulo nesta quinta-feira (21). É que o pleno do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE) negou recurso impetrado pela família do socialista derrubando decisão da última quarta-feira (20), que barrava o uso da imagem nos programas de rádio e televisão dos candidatos de outras coligações e partidos.

O recurso da ação cautelar entrou na pauta do Pleno nesta quarta-feira. Por 3 votos contra e 2 a favor, os desembargadores do Tribunal decidiram que fica permitida a utilização das imagens, pois os magistrados entenderam que o uso não denigre a imagem de Eduardo Campos.

O advogado da coligação Pernambuco Vai Mais Longe, Walber Agra, comemorou a decisão do Pleno e disse que proibir seria censura prévia. Ele argumentou que os outros Estados estavam homenageando Eduardo Campos em seus programas regionais e que não teria sentido proibir apenas Pernambuco.

“Não acho digno transformar tristeza em voto”, diz Silvio Costa

Durante encontro com lideranças com o senador Armando Monteiro Neto (PTB), candidato a governador pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe, o deputado federal Silvio Costa (PSC), que até então vinha calado na campanha, abriu a caixa de ferramentas, como de hábito. Ele não poupou críticas à Frente Popular, encabeçada pelo ex-secretário da Fazenda Paulo Câmara (PSB), pelo que considerou “tentativa de transformar a tristeza causada pela morte do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) em voto”.

“Eu não conheço ninguém que não esteja comovido. Mas não acho digno que nosso adversário tente transformar tristeza em voto”, disparou o parlamentar que, antes de falar, pediu um minuto de silêncio.

“Não é correto que nossos adversários façam populismo da fatalidade. Eles estão desrespeitando a alma e a cabeça do povo pernambucano. Estive calado, mas aproveito o momento para expressar meu pesar para a família. Mas eles não podem fazer apoteose da tragédia”, declarou Silvio Costa.

Câmara: aliados devem se adequar ao seu Governo

(Divulgação)

O candidato ao Governo do Estado pela Frente Popular, Paulo Câmara (PSB), disse que, caso seja eleito, os partidos da coligação vão ter que se adequar à sua administração. A chapa é formada por 21 partidos.

“Nós temos um modelo de gestão que foi implementado por minha ajuda como a Secretária da Fazenda. Existem metas, estratégias, orientado para fazer com que o Estado funcione. Fizemos muito nesses sete anos e meio. As pessoas que vão nos ajudar vão ajudar naquilo que a gente acredita”, afirmou o socialista, em entrevista ao NETV 2ª Edição, nesta quinta-feira (21).

Milton Coelho também deixa função em campanha

Após Carlos Siqueira, coordenador-geral de campanha do PSB à Presidência, anunciar rompimento e afirmar que não estará “em hipótese alguma” na campanha da ex-senadora Marina Silva (PSB), candidata do partido à Presidência, a coligação contabilizou mais uma saída de função. É que o coordenador de mobilização e articulação da campanha, Milton Coelho, também anunciou ao presidente nacional da legenda, Roberto Amaral, que deixará a coordenação.

Milton Coelho é membro da Executiva Nacional do PSB. De acordo com a Folha de S. Paulo, ele disse a colegas do partido que seu compromisso era com o ex-governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB), vítima de trágico acidente aéreo na semana passada.

Na campanha, Milton Coelho dividia a tarefa de articulação política e mobilização com Pedro Ivo, que é do grupo da ex-senadora, que permanece na função.

Pag 1 of 1.12212345...102030...Última »